CCILC apoia startups portuguesas na conquista pelo mercado chinês

CCILC apoia startups portuguesas na conquista pelo mercado chinês

As startups e incubadoras portuguesas interessadas tiveram a oportunidade de apresentar um breve Pitch acerca do seu projeto com vista à abertura de importantes fontes de financiamento e criação de oportunidades de acesso ao mais importante mercado do futuro.

No encontro, marcaram presença Sérgio Martins Alves, secretário geral da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Chinesa e Fernando Costa Freire, Vice presidente da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Chinesa. Sérgio Martins Alves disse que a Câmara de Comércio e Indústria Luso-Chinesa procura ” dar acesso ao que os investidores procuram” e que o objetivo passa por “aumentar esse mesmo acesso a produtos e negócios”. Fernando Costa Freire fez questão de sublinhar ” um grande números de eventos  que Portugal promove direcionados às startups, não somente o Web Summit”, acrescentando que esse será o caminho a seguir.

Conheça as seis startups que marcaram presença:

Egg Electronics: A startup portuguesa produz dispositivos de carregamento pessoais. O EGG PowerStation é o primeiro produto da startup, uma estação de carregamento que combina engenharia e design centrados no utilizador. “Queremos oferecer algo bonito que esteja ao lado das pessoas”, pelo que “A simplicidade é a chave”, diz Tiago Venda Morgado, fundador e CEO da Egg Electronics. Para além da implementação do produto em Portugal, a startup portuguesa iniciou já o processo de internacionalização, ao vender produtos para Espanha, Alemanha e Norte da Europa. Para os próximos meses estão previstos o desenvolvimento de dois produtos: o Egg Traveller, que terá o tamanho de um smartphone e o Egg Hybrid. Em 2016 a Portugal Ventures, sociedade pública de capital de risco, anunciou o investimento na EGG Electronics. O financiamento à empresa foi feito através de co-investimento com a EDP Ventures, Ganexa Seed Capital e Creative Wings.

Oncostats: A plataforma portuguesa foi criada em 2016 por dois médicos e quer mudar a prática da oncologia no mundo. Como? Organizando e sistematizando as informações clínicas de doentes oncológicos. O objetivo é facilitar o conhecimento que cada médico tem sobre os seus doentes e agilizar decisões sobre que tratamentos prescrever. Miguel Borges; CEO e fundador; Roberto Machado, CTO e Paulo Carvalho, CBDO são os responsáveis por este projeto. Na prática, a plataforma permite obter o resumo da situação de cada doente: o tipo de tumor, a progressão da doença, os tratamentos já realizados, informações sociodemográficas e o histórico familiar, fator importante se houver uma componente genético na doença. A previsão é que o software possa ser aplicado a outros tipos de cancro, como o da próstata, do cólon ou do pulmão. Está também a ser testada a integração do OncoStats com os outros sistemas de informação existentes nas unidades hospitalares.

JiTT.travel: A JiTT.travel é um guia turístico sob a forma de aplicação para telemóveis que tem em conta o tempo disponível para visitar uma cidade. Numa abordagem “storytelling”, a aplicação elabora um guia turístico, de cariz cultural, histórico e de património, adaptado ao tempo que cada utilizador-turista tem disponível e esta tem sido, para o responsável, Alexandre Pinto,  uma das principais razões para o sucesso internacional da aplicação. A JiTT.travel cria conteúdo para os diferentes utilizadores em diversas línguas, com a devida adaptação cultural. Produz também materiais impressos, livros, guias de viagem, materiais para eventos comerciais, ou conteúdos digitais.

GBSN Research:  Esta é uma startup nacional de consultoria, monitorização e análise de meios de comunicação digitais. A startup é especializada na análise do mercado de consumo e atua de forma a garantir que os seus clientes estão sempre a par das intenções e feedback da sua audiência, para que se possam posicionar estrategicamente de forma rápida e eficaz. A GBSN Research fornece às marcas todo um leque de serviços, desde o processamento de dados aos relatórios, que lhes permitem agir em conformidade com as necessidades do mercado.

CRIAM Tech: É uma tecnológica sedeada em Braga, nascida em janeiro de 2016, focada no segmento de diagnóstico Point-of-Care. Vítor Crespo é o CEO que lidera uma equipa que desenvolveu um detetor de tipos sanguíneos humanos (ABO e Rh) “portátil”num tempo recorde de “três minutos”. O produto The Blood Type Detection pretende monitorar, controlar e conter doenças em todo o mundo. “É rápido, barato e transportável”, mencionou Vítor Crespo esta tarde. O projeto (50% é investimento português) a que se juntaram investidores do Reino Unido, Alemanha, França e Estados Unidos. A startup tem como missão fornecer análises de sangue rápido e  acessível de forma a capacitar as pessoas com informações instantâneas sobre seu bem-estar e condições de saúde. Ana Ferraz, Filipe Quinaz, João Cordeiro, Fernando Nogueira e António Carvalho constituem a equipa da CRIAM.

Clientscape: A Clientscape é uma plataforma de social customer care que agrega, num único canal/timeline, todo o tipo de interações online entre um indivíduo e uma marca (todo o customer life cicle). Sejam elas feitas no Facebook, Twitter, ou outra rede social, na web, por email, numa aplicação mobile, ou até mesmo no ponto de venda, integrando com o CRM. Paulo Almeida, CEO da empresa, explica que o sistema de auto-identificação permite que cada indivíduo associe, de forma segura e fiável, os seus perfis digitais ao seu registo de cliente. A partir desse momento, o Clientscape produz toda a informação de cada indivíduo, sempre que este interaja com qualquer uma das suas plataformas digitais (redes sociais, websites, aplicações móveis e e-mail). Toda a informação relevante de cada cliente é exibida num único dashboard. A Clientscape permite recolher dados de perfis das redes sociais, as consultas realizadas por cada cliente aos websites da marca e todas as variáveis de qualificação conferidas pelos operadores.

A Câmara de Comércio e Indústria Luso-Chinesa (CCILC) desenvolve parcerias estratégicas com entidades em Portugal e na China, procurando facultar aos associados serviços profissionais e um apoio técnico qualificado em diversos domínios. A CCILC foi criada em 1978 e foi a primeira instituição que auxiliou ao desenvolvimento do relacionamento económico e comercial entre Portugal e a República Popular da China. Atualmente presidida pela EDP (Energias de Portugal), nos seus órgãos sociais figuram alguns dos grupos industriais e financeiros no contexto bilateral (Haitong Bank, REN/State Grid, Huawei, China Three Gorges, Caixa Geral de Depósitos (CGD), Fidelidade/Fosun, Millenium BCP, Estoril Sol, Novo Banco, etc,além de outras multinacionais e empresas, bem como Pequenas e Médias Empresas (PME) dos mais diversos setores económicos que complementam aos restantes órgãos sociais de um universo de 300 associados que pretendem dinamizar uma plataforma de apoio ao desenvolvimento de negócios entre Portugal e China.

Jornal Económico

Leia a notícia na íntegra AQUI

Pub