Loading
Associe-se

Portugueses levam coleção de vasos de porcelana chinesa de exportação à maior feira de artes e antiguidades do mundo

Portugueses levam coleção de vasos de porcelana chinesa de exportação à maior feira de artes e antiguidades do mundo
Publicado em 6 Março, 2018
Partilhar

Um grupo de vasos de enormes dimensões, com decoração powder blue, em porcelana da China, um serviço de jantar com o motivo decorativo “Madame de Pompadour” em porcelana da China e obras de arte namban, resultantes dos encontros culturais entre o Oriente e o Ocidente, do século XVI ao século XVIII, são alguns dos tesouros que os portugueses levam àquela que é considerada a maior feira de arte e antiguidades do mundo, a TEFAF Maastricht, na Holanda.

O destaque vai ainda para um saleiro da dinastia Ming, período de Wanli , um dos primeiros exemplos de porcelanas feitas na China com uma forma e função claramente europeias; um grupo de oito vasos “soldado” com decoração powder blue, do período Qianlong, que atestam as impressionantes técnicas desenvolvidas pelos artesãos nos fornos de Jingdezhen naquela época; um serviço de jantar do período Qianlong com mais de 160 peças; e um oratório japonês namban do século XVI, em madeira lacada a preto com incrustações em madrepérola, pintada a ouro e prata, contendo uma pintura a óleo que representa a Sagrada Família, copiada do original de Antonio Allegri da Correggio, designado trivialmente por “Holy Family of the Cradle”.

Os oito vasos “soldado” do período Qianlong são um dos destaques do stand. Uma porcelana de tão grandes dimensões era altamente dispendiosa e bastante difícil de produzir na época. Feitos especialmente para o mercado europeu, estes vasos eram valorizados pela qualidade da porcelana, pela sua raridade e beleza, sendo exibidos nos palácios, de acordo com o exuberante gosto barroco da época.

Os vasos com esta forma e de grandes dimensões são geralmente conhecidos por vasos “soldado” ou “dragão”. Este nome provém de um intercâmbio histórico entre Augusto o Forte, príncipe-eleitor da Saxónia e rei da Polónia e da Lituânia e o “rei soldado” Friedrich Wilhelm I, rei da Prússia em 1717. Augusto o Forte, patrono da fábrica de Meissen e ávido colecionador de porcelana chinesa, trocou 151 peças de porcelana por 600 cavaleiros (dragões) de seu exército.

Outro dos destaques é um serviço de jantar de porcelana chinesa com mais de 160 peças. A decoração “Madame de Pompadour” tem o nome de Jeanne Antoinette Poisson, Marquise de Pompadour, cortesã e amante real oficial do rei Luís XV da França. Há muita especulação sobre o significado do peixe e das águias, que indiciam que foi uma encomenda privada, embora não se tenha a certeza de quem a fez.

Cada objeto exibido no stand de Jorge Welsh Works of Art é acompanhado por uma descrição ilustrada, discussão académica, condição e bibliografia, podendo, também, todos os catálogos e livros publicados pela Jorge Welsh Research & Publishing ser consultados e comprados no stand.

Jorge Welsh Works of Art