Loading
Associe-se

Pedro Siza Viera sobre a China: “Gostaríamos de passar da aquisição de ativos para um investimento produtivo”

Pedro Siza Viera sobre a China: “Gostaríamos de passar da aquisição de ativos para um investimento produtivo”
Publicado em 3 Dezembro, 2018
Partilhar

China é um parceiro de Portugal e com o qual o Governo pretende aprofundar ainda mais relações, mas Pedro Siza Vieira pretende que o investimento seja “produtivo” e não passe apenas pela aquisição de ativos. O ministro Adjunto e da Economia participa, esta segunda-feira, na conferência “Portugal-China, uma relação com futuro”, que acontece na véspera da chegada do Presidente chinês a Portugal.

“O importante investimento chinês marca a vida portuguesa, mas queremos que a visita de Estado [do Presidente Xi Jinping] permita elevar a relação [de Portugal e China] para um plano distinto”, afirmou o ministro. “Ao nível do plano económico, no investimento direto estrangeiro, gostaríamos de passar da aquisição de ativos para um investimento produtivo“.

O Presidente da China começa esta terça-feira uma visita oficial de dois dias a Portugal, a convite de Marcelo Rebelo de Sousa. Esta será a primeira visita de Estado de Xi Jinping ao país e a terceira de um Chefe de Estado chinês, depois de Jiang Zemin, em 1999, e Hu Jintao, em 2010.

O ministro Ajdunto e da Economia afirmou que este é “momento importante” para a relação entre os dois países, que tem um legado histórico e que se tem aprofundado ao longo dos anos, especialmente ao nível cultural, diplomático e económico.

“É uma relação que ao longo da história se foi consolidando. Atualmente, essas relações continuam muito significativas”, afirmou. “É um relacionamento no plano bilateral, mas também multilateral”, referiu, lembrando o apoio dado pela China a António Guterres, na candidatura do português à presidência da Organização das Nações Unidas.

“O ponto de vista diplomático e cultural é a base para o relacionamento económico já intenso e que deverá conhecer novas oportunidades”, defendeu Pedro Siza Vieira. O ministro lembrou que a China tem sido um importante investidor em Portugal, com aquisição de empresas e ativos nos campos da energia, banca e comunicação social.

O ministro discursava numa conferência onde participavam também os presidentes executivos de algumas das maiores empresas com participações de empresas públicas chinesas, incluindo as energéticas REN e EDP, a seguradora Fidelidade ou o banco Millennium bcp. Siza Vieira sublinhou que gostaria de aprofundar a relação nas áreas automóvel e da mobilidade elétrica.

“Vamos subscrever vários instrumentos de cooperação”, anunciou. “Ao nível dos oceanos e espaço, são matérias que nos interessam e onde há oportunidades de progresso”. Sublinhou que a China é o 13.º cliente de exportações e o 6º fornecedor de bens, acrescentando que o Governo pretende aumentar a penetração de mercadorias e serviços nos segmentos agroalimentar, moda e bens de consumo.

ECO – Economia Online