Loading
Associe-se

Embaixador: Portugal não aceita lições para lidar com China

Embaixador: Portugal não aceita lições para lidar com China
Publicado em 3 Outubro, 2019
Partilhar

José Augusto Duarte diz que Portugal não aceita lições sobre a melhor forma de lidar com a China em relação a Macau e à comunidade portuguesa no território. Foi em entrevista aos canais portugueses da TDM quando questionado sobre o estilo de diplomacia mais activa do Reino Unido em relação a Hong Kong.

“A Inglaterra faz os comentários que entender, na apreciação que faz. Mas fazer julgamentos públicos sobre a atitude que Portugal devia optar….Portugal tem 900 anos de história e não precisa de lições públicas de ninguém sobre o que deve fazer ou não deve fazer publicamente. Conselhos de amigos aceitamos, mas não aceitamos lições de menoridade de ninguém”, afirmou.

Sobre as situações de Macau e Hong Kong, o representante diplomático português desafia a que se aponte qual a estratégia que tem dado melhores resultados. José Augusto Duarte argumenta que “Portugal tem um contacto com a China desde 1513, os ingleses é um bocadinho mais recente”.

“Hong Kong foi resultado de um processo diametralmente diferente relativamente ao Macau. Eu pergunto-lhe qual o melhor resultado. Em termos de legado histórico e de relação entre povos qual é o melhor resultado? É conquistar algo através de uma guerra ou conquistar algo através de uma negociação? E portanto as pessoas pensam e vêem”, acrescenta.

José Augusto Duarte defende que Portugal está atento ao que se passa em Macau e que para já não há razões para preocupação no que toca à erosão nos direitos fundamentais em Hong Kong e Macau.

“Nós até agora não temos motivos de inquietação. Mas estaremos sempre atentos e seguiremos com muita atenção o que se passa em Hong Kong e ainda mais aquilo que se passa em Macau. E falamos com as autoridades chinesas sobre isso mesmo. E vamos acompanhando o que se vai lá passando”, garantiu o diplomata neste entrevista à TDM.

André Jegundo em TDM