Loading
Associe-se

Colapso da Thomas Cook ameaça travar expansão da Fosun

Colapso da Thomas Cook ameaça travar expansão da Fosun
Publicado em 3 Outubro, 2019
Partilhar

Com o arrefecimento da economia mundial e a guerra comercial entre Estados Unidos e China a alterar o cenário de aquisições no exterior e a penalizar o consumo dos chineses, o colapso do principal investimento da Fosun na Europa, a Thomas Cook, pode significar uma travagem nos planos de expansão da empresa, segundo os analistas contactados pela Bloomberg. E a desvalorização da moeda chinesa também não ajuda o cenário do conglomerado chinês.

Em Julho, a Fosun fez uma injecção de capital significativa na agência turística e era expectável que a Thomas Cook assegurasse o fecho de Verão com alguma tranquilidade. A empresa chinesa participou num aumento de capital de 1100 milhões de dólares (mais de mil milhões de euros), mas recusou a injecção de mais capital. Os credores exigiam 249 milhões de dólares (aproximadamente 227 milhões de euros) no curto prazo. Com a recusa por parte dos chineses, a empresa acabou por entrar em liquidação. Este não foi o único investimento que os chineses fizeram no turismo, tendo também adquirido a marca de resorts Club Med em 2015.

Ler mais em Público